Pesquisar este blog

17.1.07

10. Chego em casa e minha mãe:
- Ligou uma moça pra você.
- Quem era?
- Ruth. Ou coisa assim.
- Ruth?! Não conheço nenhuma Ruth.
- Disse que estudou com você.
- Ah, então não seria Dina?
- Isso!

9. Um dia desses perguntou se eu não tava notando nada de diferente nela. Mencionei o cabelo, sem titubear. Ela abriu o maior sorriso, toda orgulhosa da minha prova de atenção. Daí eu, crente que tinha me dado bem, dou-lhe um abraço e falo: “Sempre achei que você ficava melhor de cabelo curto, amor”. Pra que fui dizer isso? Ela não tinha cortado o cabelo; tinha pintado. Só por causa disso ficou uma semana de mal. Chorou e tudo. Mas já viu mulher precisar de motivo pra chorar?

8. - É a segunda vez em três minutos que você olha a hora.
- Eu tava marcando quando tempo você passava sem reclamar de alguma coisa.

7. Desisto. Mulher não presta. Vou à China em busca das tais mulheres boas. Depois, viro gay pra ver se dou (ênfase no dou) mais sorte.

6. - Temos incompatibilidade de gênios. Nunca daria certo. Melhor abandonar o barco enquanto ele ainda está perto da praia - lamentou Laranja.
- Precisamos arranjar uma namorada pra você - sentenciou o solidário Nótlia. Olhe ao seu redor e veja quem lhe interessa. Com minhas orientações, você não vai ficar na mão. Está vendo aquela ruiva? A hora é agora. Vá lá e comente algo sobre o preto de suas vestes contrastando com a extrema brancura da sua pele.

5. Bruno Ricardo?! Nunca ouvi você me chamando de Bruno Ricardo. As pessoas costumam chamar as outras pessoas pelo nome completo quando estão chateadas. Você já notou isso? Que as pessoas chamam as outras pelo nome completo quando estão chateadas? É exatamente o contrário de quando elas querem agradar a outra pessoa ou se desculpar por alguma coisa errada, aí elas usam apelidos carinhosos, não é, Juju?

4. A moça vestia um jeans justíssimo de cintura mais-que-baixa. Mas a maior atração era o top. Top de linha. Tratava-se de uma blusa que, como diz a música de Gonzagão, começa muito tarde e termina muito cedo. Era esse pedacinho de pano que deveria cobrir aquele farto par de seios. Deveria.
- Com todo o respeito, moça, mas seu peito tá pra fora.
- Ops! Obrigada.
- É muito bonito, carnudo...
- Brigada. São naturais.
- Não, eu estou falando do mamilo. Peito tanto faz se é pequeno, grande, caído, siliconado. Meu negócio são mamilos.
- Eu, hein! Você é um tarado muito esquisito!

3. Finalmente resolveu atropelar o orgulho e ligou.
- Você sumiu. Parece se importar com tudo, dar atenção a todos. Mas pra mim não liga, não escreve...
- ...
Reticências. Só ouvia reticências. Até que:
- Você não acha que eu estava ocupada demais pra falar com você, não?

2. - Tudo bem?
- :P
- Como foi a festa?
- \,,/
- Soube q você não ficou com ninguém.
- :~

Tradução:

- Tudo bem?
- Beleza.
- Como foi a festa?
- Bombou.
- Soube q você não ficou com ninguém.
- Snif.

1. - Mas foi só beijinho ou...
- Barba, cabelo e bigode.
- E aí, como ela é?
- O que você pensa que eu sou? Não se sai espalhando por aí a intimidade de um casal.
- Tá bom. Não tá mais aqui quem perguntou.
- Paga um boquete inacreditável. Só vendo.

Feliz blog novo.

4 comentários:

45iso disse...

eu gostei do 10 porque minha mãe faz a mesma coisa aqui. E acho que há algumas conversas em que esu estava presente nas outras.

outro blog?? Porra, depois que descobriu o blogspot, é abrindo um atrás do outro! Mas a idéia de antologia foi original, pelo menos pra blogs.

45iso disse...

a pelada atualizado

Anônimo disse...

Não lembro de todos esses posts, mas de alguns.

O link do 001 ficou muito bem bolado, não tinha reparado. Mas reparei que o meu link teve o mesmo destino do de Breno. :P

Essa seqüência é o seu Top 10? Ou é só os da categoria "diálogos"?

Tem uns bons, críticas sobre política, universidade, etc que deveriam estar aqui

45iso disse...

te plagiando p q? não entendi. O.o