Pesquisar este blog

25.1.07

A Pedra do Reino que vocês não vão ver na Globo

Vocês já devem estar sabendo da minissérie “A Pedra do Reino”, que o diretor de TV (Hoje é dia de Maria) e cinema (Lavoura Arcaica) Luiz Fernando Carvalho gravou em Taperoá, e que será exibida na Globo no meio do ano. Vocês também devem saber que se trata de uma adaptação da obra homônima de Ariano Suassuna, lançada em 1971 e relançada há pouco pela José Olympio.
O romance mistura elementos das culturas ibérica e nordestina com fatos da Revolução de 30. João Suassuna foi o último presidente da província antes de João Pessoa, que representava outro grupo político. No calor que sucedeu a morte de João Pessoa, o pai do escritor acabou sendo assassinado, quando Ariano tinha apenas três anos. Ariano nunca esqueceu o fato. Tanto que, dizem os chegados, até hoje ele evita tocar no assunto. Alguns críticos dizem que escrever a Pedra do Reino foi uma vingança contra o grupo que promoveu a morte de seu pai.
O que provavelmente vocês não conhecem é a verdadeira história da tal Pedra do Reino, uma sangrenta seita sebastianista. A carnificina, que vocês já vão conhecer melhor, inspirou também o romance Pedra Bonita, de Zé Lins.

Num acampamento em pleno sertão pernambucano, 17 homens, de repente, sacam seus facões. Com eles, executam mulheres, crianças e velhos. Outros, num estado de descontrole, seguem o exemplo. Assassinam seus próprios pais, filhos e esposas. Usam o sangue para lambuzar duas torres de pedra, marcos do acampamento. As mesmas pedras servem para quebrar o crânio de crianças. Mais de 200 pessoas são mortas.
É 14 de maio de 1838.
A história da Pedra do Reino começa dois anos antes da chacina, em Vila Bela, comarca de Serra Talhada - a mesma Serra Talhada que deu Lampião ao mundo. Um dia, um rapaz de nome João Antônio Vieira dos Santos afirmou que dom Sebastião habitava um reino encantado perto de um local conhecido como Pedra Bonita. Em suas pregações, angariou dinheiro dos seguidores e montou um acampamento no tal lugar. O Primeiro Reinado da Pedra Bonita, como ficou conhecido, foi marcado por discursos fanáticos e idéias contra o poder e a propriedade privada. As autoridades não gostaram e botaram João Antônio e companhia pra correr.
Dois anos depois, outro homem, João Ferreira, que dizia ter visões de dom Sebastião, assumiu o lugar de João Antônio e continuou a arregimentar pessoas para seu acampamento.
O segundo reinado da Pedra Bonita teve mais de 300 moradores. A vida nele era um tanto bizarra. Os habitantes passavam o dia embriagados e fumavam uma certa erva alucinógena para “entrar” no reino de dom Sebastião. A matança ocorreu pouco após João Ferreira anunciar que, numa visão de dom Sebastião, este afirmava que o sangue dos seguidores o traria de volta. A polícia soube do ocorrido e mandou 60 homens a Pedra Bonita. Houve um enfrentamento entre eles e os seguidores – e mais 22 mortes. O criador da seita João Antônio, acabou morto.

O Sebastianismo é um movimento místico português iniciado no século 16, que pregava que o rei Sebastião, morto numa batalha, voltaria para ocupar o trono. No Brasil, essa idéia foi incorporada no sertão nordestino e inspirou movimentos como o de Canudos.

15 comentários:

45iso disse...

"mandou 60 homens À Pedra"

onde é que tu anda lendo essas mentiras? Tu tem o livro de Ariano (pia o nome dele, já diz alguma coisa: ariano)?

Anônimo disse...

Eu sempre achei esse Sebastianismo uma coisa meio parecida com o rei Arthur na inglaterra. E a seita nordestina aí é uma coisa meio Jim Jones.

Diana disse...

Enquete do dia: como fazer um blog sem causar a impressão de que a autora é uma nerd chata pra caralho.

OK, não sendo uma nerd chata pra caralho. Grata pela colaboração.

eu disse...

andrei. eu tb lembrei de jim jones. alias, eu ia citá-lo no texto e acabei tirando. soh q na guiana morreu muito mais gente.

ailton, é tudo verdade. a fonte é segura.

Luís disse...

É um dos teus posts mais interessantes dos ultimos tempos. Bráulio fala muito desse livro, e eu queria era ler antes de assistir a série. Gosto desses lances de "sertão mítico"..

"Serra Talhada - a mesma Serra Talhada que deu Lampião ao mundo" uehhaheuhaeh

Erre disse...

quer mesmo, luis? tem mais de 600 paginas.

Larissa disse...

Agora que você também habita este domínio, saberia me dizer como evitar os malditos spams nos recados?
Agradecida!

Diana disse...

[É de Marx, Bruno.]

E o "spam" que fiz restringiu-se a blogs que eu achava interessantes e espirituosos. E rasgar seda dá gastura, tá bom.

[Eu nunca consigo assistir a essas minisséries. Essa será imperdível, como Um dia de Maria, Os maias, Hilda e tantas outras. Mas aí exigem uma devoção diária pontual... não é p'ra mim.

45iso disse...

e a prova?

45iso disse...

deveras muito bom, o filme. Acho que tenho que ver de novo. Era muita informação e pouco tempo pra captar tudo. E tinha uns planos... carai!

cabeça pacas disse...

após o desaparecimento de sebastião em batalha, espanha anexou portugal. q ficou na merda, por 60 anos. é quando surge a crença q o momem vai voltar e reinstalar a liberdade e a glória dos lusos, pah.a espera se arrasta desde então pela arte e pela literatura. no sertão feudal, onde um rei salvador seria bem-vindo é q pegou mais forte. assim o rei arthur , assim gengis khan , assim outras tantas narrativas mitológicas absurdas e despropositadas. pois deus de doido é o deus dos outros.

glauber rocha disse...

''sou um sebastianista, sebastião é um nome forte no brasil. deixou de ser um nome aristocrático e se tornou popular. é como se o rei tivesse desaparecido dentro das tripas do povo para renascer vomitado pela coletividade terceiro-mundista e tropicalista. ''

45iso disse...

sexta teve uma mesa de debate com Liduarte Noronha, na UFPB. E a gente com essas bocas arregaladas tomando porra de açaí...

45iso disse...

olha q coisa: o Superbowl (que é realmente um só jogo) é hoje à noite. E a gente falou disso dia desses. Ele é o confronto dos dois times campeões pelas duas principais ligas profissionais americanas: AFC e NFC.

oivlis.2@hotmail.com disse...

Ariano Suassuna encarna o próprio João Grilo: engana a Deus e o Diabo. A TV Globo, deveria saber -ao inves de ovacionar o Ariano- que o Auto da Compadecida é uma recriação de Pedro Malazarte, interpretado no cinem nacional por Mazaropi, surgido na Península Ibérica, entre Portugal e Espanha. Pedra do Reino é telúrica, cujo nome mais conhecido é Pedra Bonita, a exempelo de Pau de Colher, Caldeirão, Contestado, Canudos. A Globo deturpou a história da escravidão na Bahia com a mini-série "Sinhá Moça". Sabe(a Globo) onde mora Amauri Correia e deveria ter o consultado, antes de escrever a mini-série sobre o Cangaço -Lampião e Maria Bonita. Aqui vai um recado: cuidado para não consultar o historiador de Pernambuco, Frederico Pernambucano de Melo que, seduzido pela emoção, anda criando moda ao dizer que "Lampião foi um grande estilista". Afirmar isto, não é razoavel.
Silvio Sapucaia - advogado. Maceió (AL).