Pesquisar este blog

5.8.07

"Revistas de eletrônica, de guitarra, de teclado, de MP3, de informática. Revistas de corte e costura, de culinária, de moda feminina. Revista de fofocas fonográficas e televisivas. Revista de ginástica e dieta, de "fitness", de ioga, de meditação, de aeróbica. Revistas de economia, de Bolsa de Valores, de microempresas, de administração. Revistas de ciência, de tecnologia, da História da Ciência, de biografias de cientistas e autores de ficção científica. Revistas de interesse geral, de quadrinhos, de sacanagem... E não se avista o fim."

O trecho acima é de um artigo de Braulio Tavares em que ele comenta o crescimento do mercado de revistas e no que isso contribuiria para que o brasileiro lesse menos livros. "O Livro tem que cortar um dobrado para enfrentar um concorrente que ostenta tamanha biodiversidade. Uma pesquisa recente do Ipea mostra que no total de gastos com leitura os brasileiros gastam 68,8% com revistas e jornais, contra 11,2% com livros", diz ele.

Um exemplo é a Viva Mais!  A Viva Mais!  é da Editora Abril, a mesma que publica Veja, Bravo e Piauí. Eu descobri a Viva Mais!  na semana passada, não nas bancas, mas no quarto da minha irmã.

Eis as chamadas de capa do preclaro hebdomadário:

- Remédio para emagrecer fica até 3x mais barato
- 45 mil vagas de emprego! Como se dar bem em telemarketing, a carreira do momento
- Teste Quem é você em Páginas da Vida?
- Agora ter esta barriga é fácil*  - 7 tratamentos e 3 cremes que funcionam mesmo!  - 5 minutos de exercícios deitada já fazem diferença -A sonhada lipoaspiração está cada vez mais barata -Listas de clínicas que parcelam lipo!

* A barriga em questão é a de Deborah Secco.

A Viva Mais! custa R$ 1.49

10 comentários:

Mythus disse...

Imagino que deva ter apreciado bastante a leitura da Viva Mais!, não? ;)

Revistas faz parte de um ramo de comércio necessariamente agressivo, com telemarketing e o escambau a quatro, dificilmente você ouvirá no telefone uma proposta de venda de um livro da Rocco, por mais popular que seja seu público-alvo.

A própria sociedade hoje vive num ritmo muito mais apropriado para a "leitura instantênea" de uma revista do que da leitura lenta e ponderada de um livro. Se nem posts grandes as pessoas param para ler, o que dirá ler 300 páginas de um único assunto?

Se Bráulio está criticando a sociedade apenas com base nesses números ele está longe de observar o que de fato tem acontecido com o ser humano comtemporâneo.

tautologico disse...

Já eu não gosto muito de comprar revistas porque as que eu quero comprar em geral são uns 10 reais, e com pouco mais que isso já dá pra comprar algum livro. Fico com pena de gastar com revista, que me parece mais descartável que um livro.

eu disse...

rapaz, pois eu penso diferente. em geral os poucos livros q eu compro eu pago 5 ou 8 reais com pena. e vivo pagando dez reais numa revista sem reclamar.

Luís disse...

Isso depende.. Tem revista q eu não tenho pena de dar dez reais, já outras eu não daria nem dois..

O massa é q essas revistas Viva Mais, Ana Maria, Contigo, sempre ficam perto dos caixas nos supermercados. Mais uma estratégia a favor delas.

lygia disse...

Uma coisa é pena de dar 10 reais. Outra coisa é não ter. Livros e revistas são para pessoas com determinado dinheiro ou com determinada cultura. Mesmo que uma pessoa não seja afetada pela cultura de massa de uma "7 dias", "Ana Maria" ou até coloquemos umas mais caras, uma "Nova" e até "Veja" e "Istoé", ela não dá 10 reais (ou não daria 2) numa Cult, Bravo, Piauí, Caros Amigos, Folha de São Paulo com o caderno Mais, porque simplesmente não diz de sua cultura, porque de repente o cara tem uma lapinha, ou um grupo de hip-hop, e esse universo não é o dele.
O grave é: classe média e elite, o universo dessas revistas, comprarem isso. O gritante é: professores universitários mal compram livros, que, antes de tudo, são instrumentos de trabalho. Quem comprará, então?!
Foi mal aê pelo discurso.

P.S: eu dou dez reais em algumas, mas essa coisa de plástico ao redor não deixa a gente folhear a coisa.

Mythus disse...

É isso que eu falei sobre a "leitura instantânea". Se tirar o plástico e deixar folhear, acabou a revista, já deu pra ler o que interessava.

lygia disse...

bruno, você se vendeu...
:(
algumas vezes, vá lá, dou todo o apoio.
mas os dependentes começam assim...
:P

Tate disse...

com letras em caixa alta amarelas e vermelhas pra dar um tcham!

Pula! disse...

cinco minutos de exercícios trinta e cinco vezes ao dia

mudança do perímetro abdominal disse...

gasto uma grana do caralho, mais do que poderia, com revista. e tem quadrinho que virou coisa de rico e tem livro e livro de arte é caro que só a porra por causa das claudias e caras que sempre tem um livro de arte em cima do sofá de pele de zebra.
ps.: quais são os cremes ?