Pesquisar este blog

4.2.07

The rotten lady

O pequeno Charlie foi nada menos que o 12º filho de Mary Ann Cotton a morrer de uma suposta “febre hepática”. O marido e sua mãe também haviam padecido, supostamente, do mesmo mal. A insólita história atraiu a curiosidade da cética Scotland Yard. “Nesse mato tem coelho”.
A exumação do corpo de um dos infelizes garotos pôs fim ao mistério: arsênico. Daí para a confissão foi um pulo: “Matei todos para ganhar o seguro-enterro dado pela coroa. Ganha-se um bom dinheiro desse jeito. Eu sou uma pobre mulher e não tenho como me sustentar”, justificou-se Mary Ann com ar cínico.
A “dama podre”, como os tablóides britânicos se referiam à Mary Ann, foi enforcada em 1873, aos 41 anos.

E uma história minha virou quadrinho, quem diria? Nepotismo rules.

6 comentários:

tautologico disse...

Ficou legal o quadrinho. Agora é o quê, curta, peça de teatro?

45iso disse...

eu achei melhor a história. Mas não dá pra negar a força dos traços do alcence da lâmina do samurai.

gio disse...

eu adorei o quadrinho. mas agora bru não pode jamais criticar irmãos caçulas talentosos favorecidos por seus irmãos mais velhos igualmente talentosos.

bru, fala a verdade _ tu não tá chateado porque eu não te contei antes de todos tá?

Luís disse...

Eu tb achei melhor a história, mas o final do quadrinho é fuderoso, lembrou Frank Miller. das milhões soluções possíveis, essa era uma das melhores..

E os desenhos lá no galpão 14 tb ficaram do caralho.

45iso disse...

"o seguro-enterro dado pela coroa": é Coroa, com "c" maiúsculo.

tautologico disse...

O livro sempre é melhor que o filme.