Pesquisar este blog

14.5.07

Do inferno ao céu de Suely




No futebol você vai da desolução absoluta à euforia completa em uma semana. Domingo passado, o Botafogo, clube que passei a torcer vendo os jogos pela TV aos 6 anos, perdia o campeonato carioca para o Flamengo num erro do bandeirinha aos 47 minutos do segundo tempo - entre outras circunstâncias emputecedoras.
Pois bem, já na quarta-feira, o mesmo Flamengo caía fora da Libertadores, dessa vez prejudicado pela arbitragem. No futebol, a mão que afaga é a mesma que apedreja.
Na quinta, o Fogão conseguiu eliminar o Atlético-MG e seguir em frente na Copa do Brasil, num jogo dramático até para os padrões do Botafogo. Dessa vez, o alvinegro carioca foi ajudado pela arbitragem. E agora faltam 4 jogos para o título inédito. Nada como um juiz após o outro.

E por falar em ineditismo, o Nacional, clube que eu comecei a torcer vendo os jogos no estádio aos 3 anos de idade, foi campeão paraibano pela primeira vez, sapecando 3 a 0 no Atlético de Cajazeiras. Já o Botafogo ganhou do Inter fora de casa com meio time reserva, pelo campeonato brasileiro. E a derrota do Flamengo em casa por 4 a 2 para o Palmeiras foi a cereja do bolo.

Sim, eu sei que o leitor médio deste blog não gosta de futebol. Mas é que depois que Ailton matou "a pelada", fiquei órfão de um espaço para escrever sobre o esporte bretão. E eu precisava desabafar. Mal aê.

Vou aproveitar e falar de um assunto mais democrático. Ontem terminou o Cineport. Como eu queria sair e não tinha outra opção, fui rever "O Céu de Suely". Prestei mais atenção no tal conceito de "fotografia de luz de poste" de Walter Carvalho. Puta que pariu, como um cara consegue fazer coisas tão diferentes como "O Céu de Suely" e O veneno da madrugada"?
Bem, mas a verdade é que dessa vez o filme mexeu comigo mais do que da primeira. E quando um filme não só resiste a uma segunda avaliação, como ainda melhora, é bom sinal.

6 comentários:

Diana disse...

(gostei do "dramático até para os padrões do Botafogo")Quando você ganha se valendo de erro da arbitragem as falhas se tornam mínimas, quase inofensivas.

O céu de Suely me parece mais inatingível do que o céu cristão. Passei mais de uma hora na fila pra ver. A coluna pediu arrego e desisti.

Pra cima do Figueirense!

Mythus disse...

Valeu a dica, to baixando "o ceu" via torrent.

Você passou mais de 20 anos torcendo por um time que nunca tinha sido compeão? Tens algum parente nele ou é por outro motivo?

eu disse...

é o time da minha cidade. porra, quer motivo maior do que esse?

e a ponte preta tem 112 anos e nenhum título. e tem torcida.

Luís disse...

Os únicos times que respeito no RJ são o Fluminense e o Botafogo, mas temos q reconhecer q o time da estrela solitária é mesmo time de sofredor. A história só comprova isso.

E viva o Nacional! (ver Campina caladinha, com o rabo entre as pernas, não tem preço.. eheheh)

gio disse...

eu o-d-e-i-o quando o assunto no boquinha é futebol. mas disso tu sabe.

vamos todos juntos apedrejar ailton por ter matado "a pelada".

eu simpatizo deveras com a ponte preta. mas só, hein?

não vi suely ainda. nem tou com pressa.

agora tu vendo o mesmo filme duas vezes é novidade pra mim.

Liuba disse...

aconteceu comigo, desse jeitinho, e melhorou bastante a segunda vez. hj vou ver o cheiro do ralo...
funcionários, é? quando as pessoas vão finalmente me reconhecer nas ruas, hein? ou eu tenho que ir passear láá no funcionários??