Pesquisar este blog

5.9.08

Capitão Soares

Não só já tinha ouvido falar como lido sobre os piratas especializados em filmes (vá lá o termo) de arte em João Pessoa. Parecia uma boa, já que tenho preguiça pra baixar filmes, ou melhor, procurar, ir atrás de legendas, codecs etc.

Mesmo assim ainda não tinha ido atrás dos tais camelôs, talvez porque eu já adquira filmes numa velocidade maior do que os assisto (Old Boy tá dentro da caixa desde o começo de 2007) ou por pura preguiça mesmo.

Foi quando resolvi ir atrás de um filme que só vi um pedaço, há um certo tempo, na antiga TVE, sobre Castr00 Alves. Então fui lá. O cara fica numa escada (numa ESCADA), ao lado do Terceirão, por trás do HSBC. Esses piratas não fazem questão nenhuma de esconder seus tesouros.

E não é que tem BASTANTE coisa lá mesmo? Logo de cara, tudo (ou quase) de Glauber Rocha. Até o raro Barravento, seu primeiro longa, e o polêmico (até para os padrões glauberianos) A idade da Terra. Mas acabei levando Kika (Ver a filmografia completa de Almodóvar, essa novela que eu tenho fé que um dia acaba), Touro Indomável e o documentário Rio de Jano.

E sem Castro Alves, que deixei encomendado. No retorno, recebo a notícia de que ele não conseguiu o filme, o que nos leva a Soares.

Soares está ancorado na Duque de Caxias, ao lado da Emmanuele, de frente pro Ponto de Cem Réis. Um lugar altamente movimentado.

Quando descobri Soares percebi que o Escadinha era café pequeno. Ele não só tem acervo e clientela maiores, como fiquei sabendo (o fato procura o bom repórter como a bola procura o craque) que é ele quem fornece pro Escadinha.

E eu ainda não toquei num ponto importante: o preço. 5 reais qualquer DVD, em um ou em outro. Presenciei uma senhora reclamar do valor e Soares me sai com esta pérola: "Aqui só tem filme do tempo da péda e quanto mais antigo mais caro", com uma expressão no rosto de "Se não quer, tem quem queira."

No caso, eu, que mais uma vez não resisti e comprei Os incompreendidos, primeiro filme de Tr00faut.

Soares tem até funcionário. E é tão profissa que ainda bota o número do telefone no DVD. Se a pirataria fosse legal, Soares seria o homem do ano.

Aliás, esse ramo da pirataria cult é promissor. Sei que tem um cara nesse mesmo esquema atuando no Centro de Passagem, ao lado da C&A, o qual não conheço. Ainda.

Um negócio alimentado por pessoas que, como eu, não dominam o processo de baixar filmes em casa. E ainda tem a vantagem de vir com capinha, o contato humano, a experiência sociológica... Quem quiser se aventurar, o mapa está dado.

6 comentários:

Luís Venceslau disse...

Esses aí eu não conhecia, vou geral.. Eu só sei de um q é dentro do Shopping Terceirão. Comprei o Anthology dos Beatles todo lá, até o disco de bônus.. heeheh Segundo esse, "pode dizer qualquer um aí q semana q vem tá aqui", qdo eu falei de Hitchcock.

Isabella Araújo (Zabella) disse...

isso é o que se pode dizer de "conhecer o caminho das pedras"... :P

Bruno R disse...

pedras? nao, Crack eu n posso dizer onde eu compro :)

wilson disse...

hummm...
copiei o texto. Pode deixar que eu mesmo me encarrego de passar tudo pra Policia Federal.

Laíza disse...

"Ver a filmografia completa de Almodóvar" => tb estou nessa. creio até q estou adiantada :P

elisa disse...

é. aqui em natal tem o paulista, que é famoso por achar filmes por encomenda. dizem que o que vc quiser ele encontra e pirateia. eu mesma nunca fui lá, pq se eu já tenho preguiça de baixar as coisas em casa, avalie sair atrás delas.