Pesquisar este blog

28.6.07

Patos continua a mesma, mas está diferente

Às portas da cidade, o Rivaldão, talvez o único ginásio de esportes do mundo que fica embaixo de uma ponte. A ponte com sua bela vista do Rio Espinharas, meio seco ou meio vazio, a depender dos olhos de quem vê.
Patos está mais urbana. Antigas ruas de terra estão calçadas; as calçadas foram asfaltadas e as que já eram asfaltadas, com asfalto novo. Uma das ruas em que morei está simplesmente irreconhecível. Apenas uma casa lá continuava como no meu tempo.
Assim como seu colega de João Pessoa, o prefeito de lá andou reformando e embelezando as praças. Apesar de mais iluminada, a praça do Cepa continua atraindo casaizinhos, bêbados e gente sem ter o que fazer em geral. A escola que fica ao lado ganhou uma pintura cor-de-rosa de gosto duvidoso.
A cidade ganhou um shopping, acanhado, é verdade, mas que tem café, livraria e cinemas – que fecham aos domingos. Já se vêem outdoors, restaurantes de comida chinesa e arranha-céus que chegam a doze andares.
É o progresso chegando à cidade que este ano perdeu a chance de sediar um curso de medicina na universidade federal, mas em compensação virou a capital estadual do futebol e destino turístico consolidado neste final de junho.

7 comentários:

Chilavert disse...

e eu com isso?

Diana disse...

Patos em junho é o inferno. Aquele povo com blusinhas iguais do tipo "As safadynhas" é demais para minha sanidade mental.

Chilavert disse...

Futebolisticamente falando, Patos está fadada ao fracasso. A explicação, em breve, aqui: http://www.apelada.blogspot.com/

E vc devia escrever mais n'A Pelada, seu pulha patoense.

Dina disse...

Tu sabia que tou namorando com este "atual colega de João Pessoa"?

Luís disse...

É o futuro chegando. Se até em CG vai ter parada gay..

Ah, lembra de Valéria Assunção? Aquela reporter do correio.. Pronto. Ao vivo é 10 vezes mais gostosa. Putamerda..

eu disse...

primeira-amante?

Larissa disse...

Então você foi mesmo... Eu e Renato também fomos. Passamos o sábado em casa e o domingo em Pombal (que estava literalmente deserta). Ainda brincamos de acertar balinhas naquelas barracas de tiro ao alvo. =)